mais sobre mim

subscrever feeds

Quarta-feira, 22 DE Fevereiro DE 2012

O Lenço

De Henrique Rêgo (cantado por Tiago Bettencourt)
 
O lenço que me ofertaste
Tinha um coração no meio
Quando ao nosso amor faltaste
Eu fui-me ao lenço e rasguei-o.

Ainda me lembro esse lenço
Vindo do teu seio túmido
Escondi-o ainda húmido
No peito com fogo intenso
 
Esse acaso, hoje penso
Qual infantil receio,
Muito orgulhoso guardei-o
Lamento a minha loucura
Porque esse lenço o perjura
Tinha um coração no meio
 
Esse coração bordado
Por triste sina era o meu
E por isso ele morreu
Quando o lenço foi rasgado
 
Foi-se a chama do passado
Pois em cinzas sepultaste
Este amor que atraiçoaste
De que serve a dor incalma
Vesti de luto a minh’alma
Quando ao nosso amor faltaste
 
Beijos, sorrisos e afagos
Me deste. Hei-de esquecê-los
Pois os teus doces desvelos
Com meus beijos foram pagos
 
Teus olhos eram dois lagos
Lascivio era o teu seio
Foi tudo efémero enleio
Breve e fugaz ilusão
Magoaste-me o coração
Eu fui-me ao lenço e rasguei-o
publicado por Rojo às 23:12
Quarta-feira, 22 DE Fevereiro DE 2012

The Clash - The Equaliser

No! Gangboss no!

We don't want the whip!

As you get weaker - it will get harder
So don't be like him
Keep your bones of effort and strngth
Don't sell them to him

We don't want no gangboss
We want to equalize
To my fathers fathers fathers father
Work was no joy
When his son had grown of age
You got to work now boy
Never ceasing for many years
Want to follow that boy? 
Till half and half is equalized
Put down the tools
See the car see the house
See the fabulous jewels
See the world you have built it with shoulders of iron
See the world but it is not yours say the stealers of Zion

Geneva
Wall Street
Who makes them so fat?
Well well me an' you better think about that
In overdrive whooo

Till humanize is equalize
Put down the tools
Every face on every side
Throw down the tools
Stay at home
Don't check with Rome paint strike on the door
It's one to one the fight is on so don't go to war

We don't need no gangboss
We have to equalize

publicado por Rojo às 22:47
Quarta-feira, 22 DE Fevereiro DE 2012

Bocage

SONETO ASCOROSO

Piolhos cria o cabello mais dourado;

Branca remela o olho mais vistoso;

Pelo nariz do rosto mais formoso

O monco se divisa pendurado.

 

Pela bocca do rosto mais corado

Halito sae, às vezes bem ascoroso;

A mais nevada mão sempre é forçoso

Que de sua dona o cu tenha tocado.

 

Ao pé delle a melhor natura mora,

Que deitando no mez podre gordura,

Fetido mijo lança a qualquer hora.

 

O cu mais alvo caga merda pura:

Pois si é isto o que tanto se namora,

Em ti mijo, em ti cago, ó formosura!

publicado por Rojo às 22:45

pesquisar

 

Fevereiro 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
18
20
21
24
25
26
27
28
29

comentários recentes

  • Quem é o autor deste texto?Poderia utilizá-lo para...
  • Estou a ver na televisao informacao sobre a greve ...
  • Obrigado, eu também acho que escrever é terapêutic...
  • Este texto bonito. escrever é uma terapia natural ...
  • Bravo, alguém lê este blog! E vem cá despejar o se...
  • Pfft! Conversa típica de comunista. O que ganhou P...
  • A Revolução de Abril vive!
  • A Grécia agora é Terceiro Mundo...
  • España va bien...
  • Gosto de falar com uma mulherGosto de falar com um...

Posts mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro