A César o que é de César

Se achas que todos os teus problemas

têm soluções individuais.
Vai bater à porta do primeiro-ministro,

espera que o carro dele saía pelo portão,

procura-o numa inauguração

ou vai falar com o staff dele na Assembleia da República.
Não deixes de lhe dizer que és um cidadão

bem comportado,

vais à missa aos Domingos, votas nele e nos seus boys e girls.
Então não há porque não fazer uma pequena excepção.

 

Esta coisa do aumento dos impostos, do desemprego,

da inflação e os cortes no salário, pensões, subsídios,

não há porque aplicá-la a ti.

 

Acredita que ele vai ser razoável.

Tu não tens culpa nenhuma desta cambada

de esquerdistas, pobres e mal a agradecidos

que vêm perturbar a paz social. Etc.
Os malandros que não querem trabalhar que paguem a crise, né filho?
Vai, eu pago-te o bilhete da viagem para Lisboa,

eu quero é que o Self Made Man português faça o seu Self Service.
...
Se já percebeste a figura de idiota que fizeste. Se percebeste que todos temos os mesmos problemas.
Como dizia o Che, a Revolução e o Amor são a mesma coisa, só muda o tamanho.
Aprende a amar quem sofre de injustiças.
Para que entendas duma vez por todas, que o problema não é teu: É NOSSO!

publicado por Rojo às 13:32