Socialismo é Cultura, Capitalismo é analfabetismo

Deparei-me por acaso com esta notícia na Telesur (canal venezuelano de alcance internacional, a Al Jazeera da América Latina):

 

Feira do Livro cubana vende mais de um milhão de exemplares

 

 A notícia cita organizadores que inclusive falam em vendas de mais  de 1 milhão de 200 mil exemplares.

 

Por cá na terra dos Big Brothers e do tele-lixo as editoras - cada vez mais concentradas num punhado de capitalistas (como o monopólio Leya por exemplo) - parecem até ter vergonha em falar no número de livros vendidos nas maiores feiras do livro de Portugal, as de Lisboa e do Porto.

 

Por muito que vasculhe notícias sobre as feiras do livro portuguesas só consigo encontrar números de visitantes na feira do livro do Porto do ano passado, segundo dizem esta recebeu 250 mil visitantes em 2008.

 

Ou seja, nem juntando todas as maiores feiras do livro portuguesas, do Porto, de Lisboa e outras se chega sequer perto da grandiosidade e visibilidade internacional desse grande acontecimento cultural que é a Feira do Livro de Havana.

 

Não é de admirar quando sabemos o pouco que os portugueses lêem, a quantidade de lixo televisivo (em que as novelas e os futebóis, rivalizam com alienações ainda piores) e o ódio e desprezo à cultura - especialmente à diversidade cultural - que existe no Capitalismo.

 

E ainda assim não faltam idiotas que nos querem dar lições de moral sobre "as malfeitorias" do Socialismo em Cuba.

 

Quantos desses idiotas alguma vez leram um livro (sem ser por obrigação)?

 

Muito poucos concerteza.

 

 

publicado por Rojo às 21:31